Acalma-te: a vitória do matrimônio vem através da sua crucifixão

Veja quem Cristo está levantando dos mortos neste ícone clássico do Domingo de Páscoa: é o primeiro casal casado. O Matrimônio têm sido atacado desde o começo. Não é nada novo. E Cristo sempre o eleva.

À luz da decisão da Suprema Corte na última semana, que legalizou efetivamente o “casamento” homoafetivo a nível nacional (nos EUA), pode parecer que o matrimônio está enfrentando tempestades imprevisíveis, e Cristo está dormindo no barco. A tentação de desesperar-se ou “pirar” como os discípulos no mar tempestuoso é compreensível, mas não se esqueça: Deus está no controle e, no final, a Verdade sairá vitoriosa. “Não perturbe o vosso coração.” (Jo 14, 1) Acalma-te. Nada deve abalar nossa paz.

Como podemos ficar calmos quando tudo parece tão obscuro? Relembrando e esperando com total confiança no método de Deus para a vitória: ela vem através da morte e ressurreição. Na verdade, Deus revela precisamente toda a Verdade sobre o matrimônio na Cruz e através da Cruz.

Assim como muitos santos atestaram ao longo da história, a Cruz é onde Cristo, o Noivo, consuma Seu Matrimônio com a Igreja, Sua Noiva. Devemos considerar essa ideia, deixar que ela se aprofunde se quisermos compreender corretamente o que se passa no mundo hoje: o matrimônio, me parece, está no seu caminho para ser crucificado. Tem sido zombado, rejeitado, cuspido, flagelado e pregado no madeiro. Mas lhe dê três dias e verá o que acontece.

“No terceiro dia, havia um casamento em Cana.” (Jo 2, 1) Jesus e Maria estão sempre prestes a restaurar o vinho de Deus para o relacionamento entre homem e mulher, mas isso vem através do lado transpassado do Noivo e do “sim” da Noiva, a “mulher” ao pé da Cruz. Focando nosso olhar aqui, ficando aqui no “leito matrimonial da Cruz” é que vai devidamente nos orientar em meio a todas as loucuras que tem se desenvolvido.

Atualmente nosso mundo fala muito sobre orientação sexual, mas a orientação mais fundamental de sexualidade é nos dirigir para a morte e ressurreição de Cristo. Lembre-se do eclipse solar que ocorreu na Sexta-feira Santa (veja Lc 23, 45). Não é verdade que o matrimônio sofre um eclipse parecido? Mas aqui está nossa esperança: o Domingo da Ressurreição não está longe. Ao fim dos “três dias”, o matrimônio será ressuscitado e a verdade sobre nossa sexualidade brilhará como o sol! O mundo verá a luz e será reorientado.

É isso o que o sol faz: ele nos orienta. É por isso que a Noiva (a Igreja) tradicionalmente celebra sua liturgia direcionada ao Leste (o Oriente), por causa do levantar do sol, como o salmista diz, é um símbolo da chegada do Noivo (veja Sl 19, 5). E quando o Noivo vem, “nada se furta ao seu calor.” (Sl 19, 6). O mundo verá a glória de Deus revelada através da teologia do corpo humano.

Essa é a promessa de Deus. Podemos confiar nela. E isto é o que nos dá esperança no meio da presente escuridão. Tão certo quanto a noite se torna dia, a verdade sobre o matrimônio aparecerá no horizonte e iluminará a terra.

Agora, é verdade, devemos sofrer o eclipse. E acredito que a situação ainda se tornará mais obscura antes que se torne mais clara. Mas, assim como São Paulo nos lembra, devemos considerar que todos os sofrimentos que precisamos suportar não se comparam com a glória que será revelada (veja Rom 8, 18). Não tenha medo! “Pela tarde, vem o pranto, mas, de manhã, volta a alegria.” (Sl 30, 6)

(Artigo publicado com a permissão do The Cor Project)

_________________________________
cwO novo best-seller de Christopher West, Pope Francis To Go: Bite-Sized Morsels from The Joy of the Gospel, está disponível em PopeFrancisToGo.com. Christopher é conhecido ao redor do mundo por seu trabalho de popularizar a teologia de São João Paulo II. É fundador e presidente do The Cor Project.

1 Comment

  1. “O Matrimônio têm sido atacado desde o começo. Não é nada novo. E Cristo sempre o eleva”: perfeito!!!

    By Aparecido | 1 year ago Reply

Leave a Reply