O passado de minha namorada me assusta!

Eu sou virgem e estou namorando uma mulher que tinha um passado ruim, mas agora é decidiu viver a pureza. Porém a ideia de seu passado me assombra. Como posso viver melhor isso?

Eu sei como você se sente, porque eu era virgem no dia do meu casamento, mas minha esposa não era. Como a mulher que você mencionou, minha esposa tornou-se uma nova criatura. Mas ainda era um desafio doloroso para mim lidar com o conhecimento de seu passado. Por um lado, havia em meu íntimo um buraco quanto ao pensamento dela ser ter estado de maneira tão íntima com um estranho e que não era eu. Eu também senti ressentimento em relação os outros homens e nunca quis ter rancor. Em seguida, houve a decepção de ter esperado tanto tempo para entregar-me inteiramente a alguém e querendo ela para compartilhar a experiência da noite de núpcias como totalmente único! Soa familiar? Recebo inúmeros e-mails de homens e mulheres como você que estão lutando com o passado do seu parceiro. Aqui há uma estratégia para superar a dificuldade:

Uma das razões para estes pensamentos continuarem vindo à mente é porque provavelmente você está tentando empurrá-los para fora de sua mente sem lidar com eles de fato. Varrendo-os debaixo do tapete os permitirá continuar te incomodando. Como eu vejo, a solução não é reprimir esses pensamentos mas lidar com eles, aceitando-os e superando-os. Sempre que você tiver esses pensamentos preocupantes, siga os seguintes passos:

1. Graças a Deus. Agir contra os sentimentos de amargura e dor, agradecendo a Deus por trazê-la de volta ao caminho da pureza! Isto ajudará a evitar que os ressentimentos infectem seu relacionamento. Lembre-se: Ela não era infiel. Ela só fez péssimas escolhas e provavelmente se arrependeu. Se você for como eu, você concordará que também cometeu alguns erros em seu passado como por exemplo ficar olhando pornografia, ou avançando o sinal com outras garotas. Lembre-se de que o ressentimento é uma escolha, não apenas uma emoção. Você precisa rejeitar e desarraigá-lo ativamente.

2. Oferecê-lo. Em vez de morar no passado dela e esta chorando sobre ele, leve esses pensamentos a Deus quando eles vêm à mente. Tipo assim: quando você começar a pensar nas ações dela do passado e os relacionamentos que ela teve, tome isso como um lembrete para orar para a cura de sua memória e para a conversão dos homens que ela namorou. Por causa dos sofrimentos de Cristo, nossas provações na vida tem valor redentor quando nós as aceitamos com fé e as oferecemos a Ele. Você precisa entender o bem que o Senhor pode fazer com ele. Use seu sofrimento para trazer graça para os outros. Esta etapa é muito importante. Toda vez que uma memória vem à mente, posso rezar por cura e por conversões que precisam acontecer. Em outras palavras, deixe a dor tornar-se em oração.

3. Viver de maneira pura. Lute para levar uma vida pura com ela. Você pode ser o único a se casar com ela um dia, e se for o caso, você certamente não deseja adicionar mais arrependimentos à ela e trazer tudo isso para seu futuro casamento. A fim de viver uma vida pura, você também precisa ter certeza de que você não está vendo pornografia. Isto irá inflamar a ferida em seu relacionamento e intensificar suas inseguranças, porque isso fará com que os pensamentos do passado dela se tornem mais visuais em sua imaginação.

4. Falar com ela. Se o relacionamento está indo em direção do casamento, não tenha medo de falar com ela sobre a luta que você está tendo. É melhor que essas questões vêm à superfície antes do casamento do que dentro do casamento. Se você não se sentir pronto para isso, talvez que você pode falar com um padre ou algum outro conselheiro que você respeita (sem trair a confiança dela). Em outras palavras, é melhor falar com alguém ou quem conhece o seu passado, ou quem não conhece ela em tudo.

No entanto, lembre-se que bons relacionamentos requerem uma comunicação aberta e honesta. Quando você abrir suas preocupações, claro não culpa-la do passado, mas prefira expressar o fato de que você deseja resolver esse problema juntos. Nunca, jamais, segure isso sobre ela ou jogue na cara dela. Em vez disso, compartilhe suas inseguranças, medos ou dor e permita que ela te ame. Isso vai exigir alguma sensibilidade de sua parte e alguma paciência e entendimento da ela. Se seu amor é forte e Clemente, juntos vocês serão capazes de superar esta dificuldade.

Quando você conversar com ela sobre isso, não sejam muito específicos no que diz respeito as coisas que ela fez com os outros caras. Tal informação vai fazer mais mal do que bem. Intimidades anteriores de um parceiro, muitas vezes, causam sentimentos de dor, ressentimento ou inferioridade em você. Falando através de sua luta vai ajudar você a guardar seu coração contra o veneno da falta de perdão. Mas pega leve com ela e não arraste para sempre esta situação. Isso fará com que ela se chateia com você. Uma vez ouvi que um jovem foi conversar com São Padre Pio em lágrimas porque a namorada dele terminou com ele. O Santo bateu-lhe no rosto e disse, “Seja um homem.” Tão cruel que pareça, é exatamente o que o cara precisava ouvir.

É compreensível que você se senta ferido pelo passado dela. Isto é natural. Não é um sinal de que você ainda não a perdoou. É apenas um sinal de que você tem um coração humano. Perdoar alguém não é esquecer. É sobre não está segurando algo contra essa pessoa. É uma decisão. Com o tempo, vão curar as feridas, mas não está dentro do seu poder não se sentir mal. Espero que ela seja ser paciente com você enquanto você trabalha com isso. Como uma nota de encorajamento, fiquei melhor e no nosso caso, o casamento tem sido de muito cura para nós. Por exemplo, mesmo que a mulher tenha experimentado a atividade sexual no passado, intimidade conjugal no casamento será exclusiva para ela, porque ela nunca experimentou o dom da intimidade pura como Deus pretendia — como um sacramento. Ous seja o que vivemos hoje! Um amor na total pureza de Deus.

Se você achar que a questão não está melhorando, e o ressentimento entre você e ela só cresce, encontre um conselheiro, o padre ou o pai falar sobre isso. Alguém de caminhada cristã. Casamento é uma das decisões mais importantes que você fará, e você precisa de se rodear de conselheiros sábios. Você está com a mulher no presente não viva nas nuvens do passado para sempre! Sopre-as!

5. Refletir o amor de Deus para ela: um cara na sua situação, uma vez me mandou um email, dizendo como ele se sentia um pouco mal por causa do passado da sua noiva. Eu posso entender por que ele se sentia assim. No entanto, é preciso lembrar que não salvamos nós mesmos por uma questão de reter, mas nos doarmos. A essência do amor autêntico é a doação e não busca de algo em troca. Se você se tornar o marido dela, você não receberá o dom da sua virgindade. Mas você receberá algo maior: o dom de si mesma. Seria triste perder o dom de uma pessoa em busca do dom da virgindade. Na verdade, eu sei de um tal casal que estava se aproximando de noivado, mas acabou quebrando o relacionamento porque o cara não poderia aceitar o passado da garota. Foi uma tragédia, porque ele não podia ver que, ao não aceitar o seu passado, ele estava perdendo o belo futuro.

Basta olhar para a maneira incondicional que Deus nos ama, e em troca somos tão mesquinhos. Na verdade, a Bíblia fala muitas vezes sobre Israel como tendo casos com a meretriz, e tendo esquecido seu primeiro amor, que era Deus. Ainda Deus perdoou suas iniqüidades e amava Israel apesar do passado. Eu não estou comparando sua namorada a uma prostituta (ou Deus), mas estou simplesmente dizendo que terá que amá-la de uma maneira piedosa se você optar por ela e aceitar seu passado . Ela vai precisar te amar incondicionalmente, bem como, você espera um casamento duradouro. Todos nós temos nossas próprias imperfeições. Deus não guarda rancor por ela, e nem você deveria guardar.

Lembre-se que a aceitação incondicional de sua futura noiva te faz mais homem nos olhos dela que qualquer outra coisa que você possa fazer. Ela pode se perguntar, “sou digna de amor? Não sou mercadoria estragada? Eu sou amada?” Você joga um papel importante na sua cura, através do fato de morrer para si mesmo por amor a ela. Acredite ou não, essa ferida que você sente é realmente dada a você por Deus para curar a sua própria alma. Um convite a se conformar à Cristo, purificar seu amor e assim reforçar seu casamento se você continuar a responder à graça de Deus para carregar esta cruz.

Madre Teresa disse-nos que para o amor ser verdadeiro, deve doer. Isso deve esvaziar-se de si. Então, convido você a olhar para o crucifixo, que é o derradeiro sinal de amor. Só através dele o cristão alcança a alegria da ressurreição. Da mesma forma, Papa João Paulo II nos diz que quando se trata de relacionamentos:

“Nós amamos a pessoa completa com todas as suas virtudes e defeitos e até certo ponto, independentemente dessas virtudes e apesar desses defeitos. A força de um amor emerge mais claramente quando a pessoa amada tropeça, quando suas fraquezas ou até mesmo pecados entram em campo aberto. Quem ama verdadeiramente não retira o seu amor, mas ama mais, ama em plena consciência das lacunas e falhas do outro e sem em algum momento aprova-las. “[1]

Para mim, a paz veio com a aceitação. É então que percebemos que o perdão não é um sentimento, mas uma decisão. Claro, a dor não vai embora durante a noite. Para mim, os pensamentos e as dores vieram e foram. Mas cada vez que surgem, eu paro e rezo por sua cura e para a conversão dos caras que ela esteve. Isto liberta! Gera vida.

Em resumo, a principal coisa que você precisa fazer é ter um coração grato para com ela, ser paciente consigo mesmo e com ela, quando essas emoções se levantarem dentro de você. Usá-las como um lembrete para orar para sua cura, manter seu relacionamento puro e mostra-lhe o amor de Deus. Fazendo essas coisas em seu tempo, Deus vão curar as feridas nela e em você. Ao longo do tempo, você sentirá uma maior paz a medida que aprofunda o amor!

____________________

j-evertJason Evert founded chastityproject.com has spoken on six continents to more than one million people about the virtue of chastity. He is the author of more than ten books, including Livro Como Encontrar sua Alma Gemea sem Perder sua Alma.

[1]. Karol Wojtyla (Papa João Paulo II), amor e responsabilidade (San Francisco: Ignatius Press, 1993), 135.

Leave a Reply